25 de junho de 2016

Martina Stoessel no Brasil. Lançamento de "Tini - Depois de Violetta"


No último dia 08 de Junho a atriz Martina Stoessel desembarcou em São Paulo para o lançamento do seu novo filme "Tini - Depois de Violetta" e de seu novo CD solo. E nós do 99 acompanhamos todo o percurso da atriz por SP.

Ela desembarcou no aeroporto de Guarulhos, haviam cerca de 15 fãs no local à espera da artista, que apesar de estar cansada parou para conversar e fotografar com todos.

A Pré-Estreia do filme aconteceu no shopping Cidade Jardim, em São Paulo, no dia 08 às 20h, Martina chegou ao local do evento para fotografar, dar entrevistas e logo após passou por cada uma das salas onde apresentou o filme aos fãs e jornalistas, e em uma das salas chegou a cantar!

No dia 09/06 a Rádio Disney realizou o Meet & Greet com Tini e nós estávamos lá. 20 fãs foram escolhidos através de promoção para assistir uma audição do CD no estúdio da Rádio onde ela contou um pouquinho sobre as músicas de seu novo álbum, confira:






Siempre Brillarás
"Essa canção é uma das que eu mais gosto no disco, porque marcou como o final de uma etapa que foi Violetta, algo que marcou minha vida, pois graças a isso hoje pude lançar meu disco. Ela marcou esse final, mas também o começo de uma etapa minha como solista. E também a letra que é clara ao dizer que todos nascemos para brilhar, para ser felizes e para sempre lutarmos em busca da felicidade e do que amamos, independente do momento que estamos vivendo e das dificuldades que encontramos devemos sempre manter a esperança. Quando estou triste ou angustiada eu ouço esta música e ela me dá fé, por isso eu amo esta canção."

My Stupid Heart
"Bom, as canções nem sempre se tratam de mim, também se trata de situações que eu vejo no mundo e que não necessariamente tive que passar para entender. Muitas vezes nos pegamos apaixonadas equivocadamente e mesmo vendo que a pessoa não sente o mesmo aceitamos isso e pensamos que quando estivermos com ela seremos capazes de mudá-la tendo o pensamento “comigo vai ser diferente”, e acredito que isso acaba nos confundindo. Porque devemos estar com uma pessoa que nos aceite como somos, e juntos tentar mudar algo que as façam mal. Mas para isso é necessário conhecer bem nossa própria pessoa e eleger bem a pessoa que vai cuidar de nosso coração para que não nos machuque. Vendo isso lá fora penso comigo mesma 'mas porque não pensou antes de fazer, se você já sabia que ia sair machucada?' E é disso que se trata esta canção, meu estúpido coração porque pensou que seria capaz de mudar a realidade."


Loosing  Love
"Esta canção tem mais a ver com o filme. Com León e com Violetta, porque ela realmente havia se decepcionado com ele, pensando que havia sido enganada e traída de verdade, e é isso que a canção diz, que o amor dos dois já não é mais o mesmo de antes, como no começo. E a partir dessa crise emocional é que ela decide mudar sua vida."

Yo te amo a ti
"Esta canção também é do filme, e eu creio que se uma pessoa nasceu para a outra ela realmente é, diz que ainda que uma machuque, continuarão se amando porque um nasceu pro outro. E Violetta desde o mais profundo de seu coração sabia que León é sim o amor de sua vida e León também, mesmo sem saber o que Violetta estava passando. Pois nunca se inteirou de tudo, sempre a amou e mesmo longes um do outro, não se importaram com a distância, pois o amor é capaz de tudo."




Após essa pequena entrevista, todos tiveram a oportunidade de abraçar e tirar muitas fotos com Martina, que muito atenciosa tratou muito bem todos os fãs. Na tarde do mesmo dia (9) a coletiva de imprensa aconteceu no hotel Unique, onde ela estava hospedada. Confira a entrevista abaixo:

O que você aprendeu com Violetta - seu personagem -, como pessoa e sobretudo musicalmente?
"Eu digo que aprendi mais com o projeto “Violetta” e com a experiência que vivi. Comecei com 13/14 anos e uma menina com 13 até quase 20 é a idade onde mais forma sua personalidade, não? Não muda só fisicamente, mas também como pessoa muda muito também e para mim Violetta foi como uma escola onde aprendi muitas coisas, no âmbito profissional principalmente. Aprendi com ela: como se posicionar em frente a uma câmera, como fazer uma entrevista, como fazer um show ao vivo, até também o pessoal como aprender a tomar decisões, e a formar minha própria personalidade. Foi como uma escola em todos os sentidos. Musicalmente também."

Qual a diferença musical entre Violetta e Tini?
"O disco tem um som completamente diferente do que estávamos acostumados, são músicas muito mais agitadas para dançar e também tem todo os tipos de estilos musicais no CD. Não fico somente em um estilo de música, é muito variado: tem músicas lentas, pop, hip hop, eletrônica também, sons muito modernos, mas ao mesmo tempo uma música lenta só com um piano. Tem de tudo um pouco e sempre quando sonhava em gravar um CD eu dizia: “Eu quero ser uma artista que tenha de tudo um pouco”, ou seja, que você coloque da primeira à última música e não se canse de escutar."

O filme tem música e coreografia. Isso torna o trabalho mais difícil para você?
"Na hora de fazer, ou seja, na hora de gravar uma cena que eu já saiba a coreografia ou filmar uma cena dos videoclipes para mim não é difícil. Para mim talvez o que seja mais difícil é o processo anterior de ir gravar a música: estar em um estúdio de gravação e gravar em inglês e em espanhol e trabalhar com gente nova. Esse processo é bastante longo e também o da coreografia com os bailarinos, a posição, os figurinos, ou seja, o processo anterior que é mais complicado na hora de fazer."

99Coisas – Oi de novo Tini! O que você sentiu quando viu o filme pela primeira vez?
"OI! Foi uma emoção muito grande, eu não consigo ser muito objetiva porque para mim estava incrível. Era o dia do meu aniversário, estava com todas minhas amigas, com minha família, sentia muita falta de estar em Buenos Aires e foi o melhor plano que poderíamos tem feito! Fomos todos assistir o filme e me fascinou. Depois da terceira ou quinta vez que eu assisti eu consegui ver mais coisas, ter mais opiniões em um monte de coisa, mas a primeira vez eu chorei muito e estava muito emocionada."

Quais seus planos para o futuro como atriz e como cantora?
"Como cantora, vocês dizem “cantora” aqui, né? Eu gostaria de já começar a prepara como vai ser o show e a turnê, obviamente se Deus quiser e se tudo sair bem. Como atriz quero escolher o melhor, porque obviamente tem muitas propostas, mas eu estou vendo algo que seja realmente o melhor neste momento da minha vida."


Teremos show da Tini aqui no Brasil?
"SIM! SIM!"

Você é uma inspiração para muitas adolescentes. Você poderia deixar um recadinho para elas?
"Eu constantemente digo algo nas entrevistas. Como eu levo a minha vida, como eu cuido do meu coração, como eu acredito que seja a melhor forma de ser feliz, talvez com a fé, tomar decisões amor realmente, mas com amor sério na hora de escolher uma pessoa ao seu lado, que seja seu namorado, conhecer bem essa pessoa, pensar antes de falar, ter esperança, ter fé, não deixa de lutar realmente pelo que você deseja e por sua paixão, mas realmente se perguntar: qual é minha paixão? Quem eu sou? Por que? Qual é o meu propósito no mundo, essas coisas."

Como é gravar um filme que leva seu nome?
"No começo eu estava com um pouco de medo, eu pensava "como as pessoas vão receber isso?" E quando eu comecei a ver que todos vocês já queriam por um lado que terminasse Violetta para que eu seguisse minha própria carreira eu disse: “Bom, não tem problema que a finalize com o filme” e que realmente déssemos algo novo para o público, porque se fizéssemos um filme de Violetta e só seria como se os deixássemos sem mais nada, não? E isso era o que mais me enchia o coração, porque sabia que ia me fazer feliz e à vocês também. Eu lidei com isso como sendo mais sendo um desafio que eu ia viver."

Qual foi a cena mais alucinante de gravar. A que quando você viu no filme você disse “nossa, ficou incrível"?
"Bom uma cena muito emocionante, que eu não sei se vocês já viram então não posso contar muito, mas é a cena que mostra a mudança de Violetta para Tini foi muito incrível, porque, pra mim é o começo de algo novo, e para os telespectadores é a despedida da Violetta e a chegada da Tini, e eu acho que é forte dos dois lados."

Como é o amor que as fãs te dão?
"O amor que vocês dão pra mim ou pra esse projeto, é realmente sem medida. Eu não sou realmente consciente do que gerou tudo isso em vocês, mas eu vejo vocês com a emoção que cantam, com a emoção que nos acompanham nos shows, como vocês falam espanhol e com todas as coisas, como cresceram com a gente. Eu acho que para o artista não tem nada mais lindo que receber do outro lado uma resposta como vocês me dão e eu estou muito agradecida e tentando fazer também o melhor para dar a vocês."

Desde pequena você sonhava com tudo isso. Você imaginava que ia chegar tão longe? Tudo isso que foi Violetta, um filme com seu nome...
"Não, de verdade eu não imaginava! Quando eu era pequena ficava no meu quarto e fechava os olhos e começava a cantar eu imaginava em cima do palco e na minha imaginação consegui escutar os aplausos e gritos das pessoas, eu não sei como eu fazia, eu tinha certeza que eu estava em cima do palco, mas não imaginava que isso ia virar realidade, me entende? Estava nos meu sonhos, mas nunca imaginei que ia acontecer de entrar em um palco com a plateia cheia, viajar o mundo e conhecer tantas pessoas e fazer tantos projetos. Nunca imaginei."

No filme, você está dividida entre dois amores. Qual a importância do amor para o crescimento, amadurecimento?
"É importante. Na idade que a Violetta tem, ou na nossa, o primeiro namorado, primeiro amor é tipo “Ah. E?”, e é necessário saber como lidar com isso, como medir esse tipo de relação. Para mim, o mais importante é antes de qualquer coisa conhecer a pessoa a quem vou entregar meu coração, porque quando uma pessoa está em um namoro da tudo de si e diz: “Toma, esse é meu coração. Eu te dou.  E a pessoa pode jogar ele no chão e te machucar ou pode cuidar dele. Quase todos com certeza passamos por coisas não tão lindas no amor e talvez para que isso não aconteça para mim é importante conhecer bem a pessoa antes de entregar tudo a ela. Como o meu coração vai saber que ela vai cuidar bem dele, poder confiar nessa pessoa, que essa pessoa me respeite em todos os sentidos, que goste de mim...  Sempre busquei isso nas pessoas, não só em namorados, mas também nas pessoas que estão ao meu redor: minha família, meus amigos, as pessoas que trabalham comigo!"

Qual a maior loucura que um fã já fez por você?
"Para mim tudo é loucura. Desde que fiquem na porta do hotel nos esperando horas e horas e às vezes não podemos sair porque estamos aqui na coletiva, mas nos encantaria estar lá e eles continuam lá esperando. Desde que te deem uma caixa enorme cheia de doces e cartas de presente e você diz “É sério? ”. Tem coisas que eles sabem antes de mim, eles dizem “Tini vai estar em tal lugar tal hora” e eu “Eu não sabia, você que está me contando” e você é muito louco. Tudo é loucura, de verdade.

No filme a Tini passa pela situação de distorção dos fatos. Você já passou por alguma situação assim que é tão constante e chata hoje em dia? E como você lidou com isso?
"Igual não. O que acontece é que eu estou exposta e não tenho o controle de tudo que falam sobre mim. Então me dei conta de que é assim: Vão mentir, vão inventar coisas. Isso já aconteceu comigo e quando eu era menor eu ficava “Não, isso é mentira! , “não, isso não aconteceu!”. Sempre desmentindo até que me dei conta de que era pior. E tive que de certa forma me acostumar e saber que não poderia estar no controle de tudo, que a exposição e a fama são consequências do meu trabalho e que isso lamentavelmente faz parte. Existem muitas coisas lindas, mas há outras coisas que te machucam muito."

Como é sua relação e interação com os fãs? Porque você tem muitos fãs brasileiros.
"Como eu estava contando, eles sempre estão aí. Eu posto “Estou na Itália” e eles me respondem “E o Brasil? ” (Risos). Não sei quanto tempo faz que a gente não vinha ao Brasil e eles estavam tipo “E o Brasil? E o Brasil?”, e eu chego, faz um mês que saiu o CD, e eles já sabem todas as músicas em espanhol. A moça da gravadora chegou e me disse o nome de uma cantora que também canta em espanhol e falou “Isso não acontece aqui no Brasil, que as pessoas gostem, que cantem em espanhol, eles gostam mais das músicas em inglês, mas com você é diferente, você está cantando em espanhol e eles gostam.” E eu disse “Você ta falando sério?” E ela disse que sim. Nunca aconteceu comigo de chegar a um país e que me digam que preferem eu cantando em espanhol, é uma loucura. Os fãs daqui são tremendos."

Como é ter seu próprio canal no YouTube?
"Muito divertido, eu adoro. Porque a gente mostra algo que talvez com uma foto ou um vídeo de 15 segundos a gente não consiga mostrar. E com o canal foi isso, fazer com que as pessoas se sintam mais próximas de mim e eu mais próxima delas através dos comentários e das coisas que me mandam. Que eles me conheçam mais, saibam como eu sou, como eu penso, como é a minha vida. Mostrar a realidade, porque eles me veem aqui, mas depois quando vou embora já não veem mais, e que continuem vendo essa outra parte, me parece interessante."


As crianças do Brasil te amam. Qual conselho você dá para as que querem seguir a mesma carreira que você?
"Que realmente lutem por isso se for a sua paixão. Antes de fazer, perguntar se isso é realmente é o que você quer para sua vida. Quando você é criança, quase todos gostam da música e sonham em ser famosos, mas na realidade a vontade não deve querer ser famosa, deve ser outra a necessidade, ser famoso é uma consequência do que fazemos. A paixão tem que ser cantar, dançar, transmitir uma mensagem como artista e não todo o resto. E também, mais além disso, o artista é feliz fazendo o que ama. Eu sei que graças a Deus aconteceu isso comigo, mas talvez amanhã acabe. Nem todo mundo tem a oportunidade de chegar a televisão ou o que seja e ser feliz dando aulas de teatro, cantando em um bar, o artista é feliz até sozinho no seu quarto, entende? Eu era feliz ali igual como sou feliz estando no palco."

Se houvesse a oportunidade de fazer uma 4ª temporada de Violetta você faria?
"O que acontece é que não tem mais histórias para contar, por isso também foi finalizada, não tinha mais o que contar. Sabe quando vai colocando tantas coisas e vai piorando? E dizem “era melhor que tivessem parado que estava melhor” e isso aconteceu com Violetta. A série era para ter terminado na primeira temporada, porque já tinha se solucionado tudo na história, mas foi tão bem que fizeram uma segunda, que também foi tão bem que fizeram uma terceira e chegamos a um ponto que falamos “já deu, não dá mais, já tenho 50 anos gente” (risos)."


Qual foi a maior dificuldade que você teve para chegar onde está?
"É que foi o único casting da minha vida, foi uma coisa que tinha que acontecer porque eu não passei minha vida buscando isso. Não é que eu fiz 1500 castings e não passei em nenhum, foi o único que eu fiz e porque eu nem sequer busquei isso, entende? Então não sei se isso foi uma dificuldade, Deus quis assim e assim foi. Depois vieram as dificuldades, eu tive que começar a conhecer o mundo desde muito pequena, como me relacionar com pessoas mais velhas, entender coisas que talvez antes eu não entendia e isso foi o mais difícil. Dizer “ah, nem todo mundo é bom, nem todos dizem a verdade” e eu tinha 14 anos e perguntava ao meu pai “por que pai? Por que o mundo é assim?” E essas coisas eram difíceis para mim entender, porque eu sou boa com ele e ele não é bom comigo? Era isso o que acontecia comigo."

Quais características a Violetta e você Martina tem em comum e quais são diferentes? E qual o momento do filme tem mais a ver com a sua vida?
"Quando eu tinha 14 anos, cantava e dançava porque eu amava, não porque eu pensava em me dedicar a isso, eu fazia simplesmente porque amava. Então, eu nunca tinha atuado. Então eu fui ao casting de Violetta e passei e disse: “como se faz isso?”, “Como eu faria?”, “O que eu faria diante do que está acontecendo com a Violetta? Eu iria chorar”, então todas essas coisas eram minhas, e atuando ou no palco eu fazia como se fosse eu, porque eu era pequena não sabia isso de compor um personagem, a técnica e tal, eu fazia do fundo do meu coração. Então eu fazia assim: subia no palco e era eu, entende? Por isso os fãs quando me veem pensam que somos melhores amigos (Risos) mas no bom sentido, porque gerou um personagem muito real. As diferenças estão talvez na forma de se vestir, talvez na forma de reagir a algo porque as pessoas não são iguais e não pensam iguais. Mas não há muitas.

A parte que mais me identifico é com a crise emocional que a personagem está vivendo, que talvez eu esteja passando nesse momento da minha vida. Mas não mal (risos) “Martina Stoessel: crise” (risos). Mas eu estou crescendo, e quando você cresce as mudanças são muito radicais. Você sabe, de decisões, coisas que você começa a perceber, de como você é, do que você quer, você começa a tomar decisões e isso faz com que você cresça e é isso que está acontecendo com a Violetta, ela está se fazendo essas perguntas e decidi que vai para Itália, e todas essas coisas que estão acontecendo com ela talvez de forma diferente, mas também estão acontecendo comigo."

Depois de 240 episódios e o filme, você acha que sua personagem fez o ciclo completo de evolução?
"Sim, esse crescimento aconteceu. E nós não precisamos dizer isso para se notar, você assiste a primeira temporada e depois a terceira, o filme e o show e vê esse crescimento em todo o elenco e também em mim que era a mais nova. A medida que ia crescendo e a personagem ia crescendo e à medida que eu ia aprendendo coisas com esse projeto eu ia crescendo e também. Foi um crescimento e uma evolução que tivemos todos juntos."


Você cresceu trabalhando, passou parte da sua adolescência trabalhando. Isso te impediu de fazer coisas que as pessoas da sua idade faziam? E você acha que hoje é mais madura por isso?
"Eu, o que tive vontade de fazer, eu fiz. Não deixo de sair com minhas amigas por ser uma artista exposta, não deixo de, não sei, ir à viagem de formatura do meu colégio, eu fui. Eu não deixo de me juntar com minhas amigas e falar de coisas que meninas de 19 anos falam, não deixo de errar e nem de provar também. Obviamente não tive uma vida como a que tem qualquer menina, mas eu escolhi isso, ninguém me obrigou a fazer isso e eu escolhi isso porque era o que me fazia feliz então isso dá paz ao meu coração, dizer “eu escolhi fazer isso” e na vida não se pode tudo, as vezes temos que deixar algumas coisas de lado."

Tradução: Luan Bueno
Bom galera, essa foi a visita Tini no Brasil! Espero que tenham gostado, e logo Tini virá com a sua nova turnê para o Brasil! Aguardem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 99Coisas 2013 - 2015 | Design e Código: Sanyt Design voltar ao topo